#14 Construção de equipes aprendedoras

Atualizado: 14 de jan.

As organizações nunca foram tão exigidas no sentido de mudanças, são cada vez mais frequentes e cada vez mais rápidas. Esse desafio organizacional, na prática, se resume ao quanto se aprende rápido em uma organização.


Quando o grupo tem dificuldade de aprender rápido, em geral tem também mais dificuldade para responder rápido à necessidade de mudança. Olhando para esse prisma, um dos principais desafios e demandas das lideranças do presente é formar equipes de pessoas aprendedoras.


Aprender é como uma habilidade mãe. É aquela que destrava a nossa capacidade de adquirir qualquer outra habilidade ou competência, é o que nos recicla e nos desenvolve. E como aqui estamos falando de praticamente só adultos, precisamos levar em conta que o adulto aprende melhor aquilo que lhe é útil e que ele possa experimentar. E como em qualquer habilidade, quanto mais praticamos, mais fácil fica.





Quanto mais exercitamos aprender, mais fácil fica. Para desenvolver equipes e pessoas aprendedoras, é necessário liderar com base em 3 pontos chave: a) autonomia para realizar testes; b) compartilhamento de aprendizados e resultados; c) visão clara de longo de prazo.


Sobre o ponto A, uma equipe ou uma pessoa com autonomia para realizar testes naturalmente desenvolvem uma visão mais crítica ao processo. Alguém que pensa em teste de melhoria, por essa visão mais crítica, acaba se engajando mais e aprendendo mais sobre o problema.


O ciclo é ainda mais virtuoso quando a implementação das melhorias são valorizadas, o que nos leva ao ponto B. Quando as melhorias de processo implementadas geram aprendizados e resultados compartilhados, existe um claro incentivo para mais pessoas promoverem outras mudanças.


É trazer para a cultura o valor da melhoria contínua, que nos leva ao ponto C. As pessoas só estão motivadas a imprimir de fato uma cultura de melhoria contínua quando existe visão clara de longo prazo.


Que lugar chegaremos com esses esforços? O mundo é melhor pelo nosso processo de melhoria? As pessoas que promovem essas melhorias realmente são valorizadas ao longo do tempo? São perguntas que sem uma visão clara deixam de ser respostas e passam a ser palpites.

Você já deve ter lido que "Talentos não deixam maus negócios, eles ajudam a transformá-los em um bons negócios. Talentos deixam maus líderes." Na condição de líder, o seu maior papel é servir o grupo e incentivar o desenvolvimento da habilidade de aprender já que ela está em uma lista importante desses serviços a serem prestados pela liderança.


A verdade é que ninguém sabe como estará o mundo daqui a 10 ou 20 anos, mas quem puder que escolha estar do lado de pessoas aprendedoras.


Fula - Sócio Fundador da Akasha

13 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo