Buscar

#6 Posicionamento claro e conectado ao espírito do tempo

Acabou o tempo em que os bons líderes eram aqueles que não se manifestavam sobre o que não está diretamente relacionado ao seu ofício.


As novas gerações, principalmente da Y em diante, ou nascidos de 1981 pra cá, demandam de suas lideranças uma postura mais afirmativa diante de valores e principalmente as grandes questões do mundo.


São as gerações que desafiam os meios para se alcançar qualquer resultado e, para eles, definitivamente os fins não justificam os meios.


Com as marcas não é diferente. Aliás, considerando que marcas são grandes atores sociais totalmente conectados e integrados aos ambientes de formação de opinião, elas fazem papel de grandes lideranças e muito nos ensina sobre a liderança do presente e como as marcas vêm sendo cobradas por suas audiências para se posicionarem.


Um caso simbólico recente foi o rompimento de contrato da Nike com o Neymar pelo fato de que ele não colaborou com uma investigação que envolva uma acusação de abuso sexual por parte do jogador. E não se engane, essa decisão demonstra sim que as empresas estão ampliando seu entendimento de papel social é uma decisão de negócio.


É o entendimento pleno de que o valor social da marca no longo prazo é maior que o ganho financeiro no curto prazo de manter o patrocínio. Se você quer conhecer mais sobre valor social das marcas, sugiro que veja o Caixa Verde, nosso curso gratuito sobre ODS aplicados aos negócios.


As pessoas querem ser lideradas por outras que, além de capacidade e competência para ocupar aquela posição, tenham uma visão de mundo que conecte com as próprias ao ponto de confiar naquela liderança.


É sobre ter opinião e conseguir conversar abertamente com as pessoas, é sobre conciliar bem visões diferentes, é sobre saber pedir desculpas e reconhecer erros, é sobre praticar os discursos sobre diversidade, redução de desigualdades, impacto social e ambiental, transparência e governança.


As pessoas já entenderam que o mundo vai seguir mudando mais rápido e que as empresas serão agentes ativos nessas mudanças, logo, as pessoas buscam líderes que sirvam a essas teses de mudança. Quanto mais clara a visão de mudança construída a longo prazo, maior o engajamento das pessoas em torno daquela causa.


O processo de mudança contínua exige das lideranças do presente ritmo e movimento. O longo prazo é mais importante que o curto prazo.

As pessoas querem fazer parte de equipes que crescem, amadurecem e constroem legados. Não é sobre um treinamento, é sobre um programa anual de desenvolvimento. Não é sobre saber o caminho, é sobre liderar para um novo caminho. Não é sobre controlar as mudanças, é sobre como reagir a elas.


Te vejo no próximo aprendizado, um abs, fula

17 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo