Como gerir conflitos internos

Bem-vindos de volta à nossa série sobre Team Building!


No último post do blog falamos bastante sobre normas explícitas e implícitas para quem quer ter uma boa cultura dentro do trabalho e hoje vamos falar sobre conflitos na organização.


Todo time precisa ter conflito. Por quê precisa? Porque as pessoas são essencialmente diferentes. Se elas são diferentes e mesmo assim não existe conflito, alguma coisa não está funcionando bem.


Mas antes de continuar é necessário saber que conflitos em qualquer time são naturais e fazem parte da vida empresarial. Eles fazem parte das relações humanas.


É melhor não coibir uma situação que vem naturalmente da individualidade de cada pessoa do que tentar lidar com ela. E para lidar com os conflitos é necessário encará-los de duas maneiras. A primeira maneira são os conflitos destrutivos e a segunda são os conflitos construtivos.


Qual a diferença entre eles? Os destrutivos vão em geral diminuir o espaço de colaboração do time, de novas ideias, de iniciativas. Diminui a intenção e vontade do time de participar e colaborar com situações e projetos novos dentro da empresa.


Os conflitos destrutivos são aqueles em que a partir daquele momento o time por algum motivo se sente menos encorajado e se dedicar aquela empreitada que é estar naquela posição dentro do negócio.


Esses são os conflitos que o time precisa fugir porque quanto mais o time se destrói neles, mais o negócio perde o clima e os resultados.


O que faz os conflitos serem destrutivos? A falta de respeito, a falta de consideração pela perspectiva, a lógica desumana ao tratar as diferenças. Quando esse comportamento começa, a equipe promove e passa a lidar com os conflitos de maneira destrutiva.





Já os conflitos construtivos são vistos como diferentes perspectivas porque as pessoas são diferentes e justamente por esse motivo que mesmo existindo um conflito toda a situação possui um clima bom justamente porque se sabe das diferenças.


E qual é o papel do líder? Da pessoa que está preocupada com a formação de equipe na hora de passar por um conflito e torná-lo construtivo? Existem alguns pontos para que você faça desse conflito o melhor para o seu time.


São 5 dicas para que você consiga transformar os seus conflitos, que são naturais do dia a dia de qualquer negócio, em conflitos construtivos.


O primeiro é que o conflito precisa gerar um aprendizado. Se houver uma diferença de perspectiva é porque existe algum ponto de fricção dentro do processo ou do negócio. É preciso aprender com esse ponto de fricção de forma a prevenir que isso volte a acontecer no futuro. Então o conflito precisa gerar aprendizado.


A segunda dica é que a liderança precisa colocar o problema no centro ou em foco. Muitas vezes o conflito começa por causa de uma fricção, mas continua em desdobramentos para vários outros lados. É possível que seja levado para o pessoal e assim as pessoas podem começar a reagir causando novas fricções.


O papel da liderança é conseguir trazer o foco no problema que gerou o conflito para conseguir resolver o problema. Se o problema não é corrigido então você não evita que no futuro isso aconteça novamente.


A terceira dica é estar aberto para reconhecer o controverso. Entenda que as pessoas vão ter perspectivas diferentes para uma mesma coisa e está tudo bem. Isso não quer dizer que uma perspectiva está certa e a outra está errada. Quer dizer que é necessário entender qual o problema ali e corrigir a fricção.


A quarta dica é reconhecer como válida todas as perspectivas. Imagine que na área comercial exista um problema e que existe uma perspectiva do vendedor, do supervisor, do diretor e do cliente. Cada perspectiva é válida e cada uma precisa ser reconhecida dentro do processo de discussão de tomada de decisão.


Por fim, a quinta dica é assuma e trate do eventual dano emocional. Muitas pessoas podem guardar mágoa ou rancor depois de um conflito e da experiência que viveram.


É importante que a liderança consiga conversar com as pessoas dentro da equipe para limpar esses processos, porque se esse rancor continuar então novas fricções vão surgir a partir desse primeiro problema, que pode até já estar resolvido, mas se o dano emocional continuar dentro da equipe ele continua atrapalhando e gerando problema.

9 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo